Polícias não podem fazer greve

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram na última quarta feira (05) que, carreiras policiais não podem decretar greve, pois são considerados serviços de cunho essencial para população. A decisão afeta de forma direta as Polícias Militar, Civil, Federal, Rodoviária e Ferroviária, além de Corpo de Bombeiros e Agentes de Segurança.

Foram 7 votos favoráveis a 3, a maioria entendeu que o bem comum da sociedade está em primeiro lugar diante do direito individual do servidor. Por outro lado o relator da ação, ministro Edson Fachin a também ministra Rosa Mello e Marcos Aurélio votaram pela preservação do direito à greve dentro dos limites previsto pela justiça.

Também foi decidido que o poder público deve participar de forma direta e obrigatória das mediações criadas pelas entidades que os representam com objetivo de negociação.

“Nós testemunhamos os fatos ocorridos no Espírito Santo, em que, em última análise, para forçar uma negociação com o governador, se produziu um quadro hobbesiano (em referência ao filósofo inglês Thomas Hobbes), estado da natureza, com homicídios, saques. O homem lobo do homem. Vida breve, curta e violenta para quem estava passando pelo caminho”, comentou o ministro Luís Roberto Barroso.