Audiência Pública discutiu a retomada das obras da Barragem

Aconteceu na manhã desta terça(23), a Audiência Pública que discutiu a retomada das obras da Barragem do Engenho Pereira. O evento aconteceu no auditório do Sesi Moreno, no centro da cidade e contou com a presença do Prefeito e Coordenador do movimento Todos Juntos Pela Barragem do Engenho Pereira, Vavá Rufino, Representantes do Governo do Estado(Compesa), Vereadores do Moreno e Cidades vizinhas, Deputados Federal e Estadual, Representantes comunitários, Políticos de cidades vizinhas e moradores de vários bairros e moradores Rurais.

O foco da audiência foi retomada das obras, a necessidade de buscar recursos para que a retomada seja quanto antes. Hoje segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento – Compesa, se faz necessário de um empenho financeiro da ordem de R$ 55 milhões para a retomada e conclusão dos trabalhos. Porém, até o momento, só há uma emenda parlamentar já sinalizada no valor de R$ 6 milhões o que representa cerca de 11% do montante necessário.

O Prefeito Vavá Rufino enfatizou a necessidade de união entre os órgãos, entidades públicas e políticos para que exista um movimento ainda mais forte em busca dos recursos para retomada das obras, tendo em vista o alto valor necessário. Também destacou que o feito aumentará a qualidade de vida da população morenense e trará mais segurança, diminuindo os riscos de desastres naturais.

O Representante da Compesa também reconhece a importância da retomada e declarou que em um prazo de 18 meses após a ordem de serviço as obras deverão ser concluídas, o que aliviaria e traria mais tranquilidade para o povo morenense. Mas ele também pontuou que não só a barragem é necessário para que o problema de falta d’água em Moreno seja regularizado, também se faz importante muitas melhorias nos sistemas distribuição de água tendo em vista a baixa capacidade de fluxo de água.

Uma das etapas já concluídas pelo Governo do Estado foi a desapropriação da área e a compra de materiais, que teve um custo na ordem de aproximadamente R$ 50 milhões, que teve ordem de serviço dada no dia 21/1/13 mas foi paralisada em  25/4/14, devido aos não repasses de verbas por parte do Governo federal.

Quando ficar pronta terá a capacidade de armazenar 25 milhões de metros cúbicos de água. O que é muito importante para contenção futuras enchentes e auxiliará no abastecimento de água no município em cidades vizinhas.

 

Veja Imagens da Audiência Publica

 

Leia Também